quarta-feira, 18 de janeiro de 2006

Prova de fogo

Acabei de ter o meu primeiro contacto com uma “cliente”. Telefonaram-me da recepção, a perguntar se eu podia ir lá fazer de intérprete entre uma inquilina portuguesa e a nossa funcionária. E eu fui, contente da vida por estar finalmente a lidar com pessoas reais e não só burocracias.
A senhora vinha pedir que lhe fossem reparar as janelas e que lhe dessem uma chave nova, porque o filho tinha perdido as dela. Se quanto à reparação foi fácil tratar, quanto às chaves já foi mais complicado, porque para as ter teria de pagar e ela obviamente não queria. Disse que já uma vez lhe tinhamos feito de borla, e que era uma falta de segurança não poder fechar a porta. Por isso ficámos ali quase uma hora, e eu naquele ping-pong. Pelo menos ela ficou contente de ter alguém que falasse português, pela primeira vez.
Resultado: amanhã vai lá a funcionária ver como está a casa, e eu vou também.

3 comentários:

Maffa disse...

Bem, é impressionante como é que pessoas vivem o seu dia a dia num país em que nao conseguem comunicar... Coitadas (eu aqui na Dina quando alguem nao fala Inglês e eu preciso de tratar de um assunto, entro em pânico...)

Anónimo disse...

Completamente de acordo! Vivo em Roma e acreditem que o italiano não é tão parecido como podemos pensar. Expressar-se é sempre muito complicado. Quando encontramos alguém que fale o nosso português parece que somos da mesma família. Há logo um clik nem que seja para dizer: Força Portugal, podes vencer ... à primeira. Ciao Tiago. M.

Minhoca,a verdadeira disse...

Olá!Onde estou nao tenho ninguem que fale portugues :(
Por acaso, faz-me falta! Gostava de ter companhia pra um cafezinho de vez em quando. Enfim, valem-me os blogs!