terça-feira, 24 de abril de 2007

E como vamos de trabalho?

Eis a questão do momento, visto que de amanhã a 1 mês é o meu último dia de contrato.
Em relação à entrevista de que aqui vos falei antes, já passaram 3 semanas, já me fartei de lhes telefonar e mandar mails, e nunca mais me disseram nada, pelo que naturalmente concluo que não fiquei com esse trabalho. Paciência...
A boa notícia é que tenho amanhã outra entrevista! E desta vez somos só dois, por isso tenho à partida 50% de hipóteses. O emprego é numa autarquia - a cidade de Londres está dividida em 32 Boroughs -, nomeadamente o Borough de Hackney. É o segundo mais pobre de Londres mas nos últimos anos tem tido vários projectos de renovação, além de estar também dentro da área a ser beneficiada para os Jogos Olímpicos. E este trabalho é na área de estratégia e "fiscalização de performance" do Departamento de Habitação e Reabilitação Urbana. Não deve ser muito diferente do que faço agora, mas é pelo menos numa organização muito maior e do sector público. E o contrato é por 3 a 6 meses, a começar o mais depressa possível, por isso encaixa perfeitamente nos meus planos.
Fora isto, tenho estado em contacto com várias agências de emprego. Umas gabam-se de trabalhar com o Governo e grandes organizações, mas até ao momento ainda não me propuseram nada. Outras têm-me falado de alguns trabalhos, mas todos muito fora de mão e com salários abaixo do que quero. Mas a qualquer momento podem sempre vir boas propostas.
Entretanto, no meu trabalho actual atravessam-se tempos estranhos. A vice-directora que tinha sido promovida a directora (uma senhora polaca e lésbica com quem tive boas discussões sobre religião) também já anunciou que vai sair daqui a 1 mês. Para o lugar de director vem um dos chefes da outra organização com quem nos vamos fundir, o que mostra bem quem manda nisto.
O Chief Executive, que não quis prolongar o meu contrato, acabou por aceitar que contratassem outra pessoa para o meu lugar. O meu manager ficou muito chateado com esta situação, diz que isto não faz sentido e que "não me queria perder". Quando fez as entrevistas na semana passada tinha uma esperança que todos os candidatos fossem maus, para assim ter um argumento para me manter no lugar (apesar de eu lhe dizer que dificilmente estaria interessado). Acabou por escolher uma rapariga que começa em breve, mas logo nesse dia disse-me que o fazia "with a tear in my heart" (com uma lágrima no coração).
É um bom homem, tenho tido muitas provas disso. Uma delas é que, apesar de a minha entrevista amanhã ser só à 1h30 da tarde, ele disse-me que escusava de cá aparecer de manhã. Wish me luck!

3 comentários:

Anónimo disse...

Good luck....fico aqui (do outro lado do Oceano Atlântico) a torcer por ti....não peço a Deus que consigas o trabalho, apenas Lhe peço que seja o que for o melhor para ti.

Susana Ramos

Anónimo disse...

oi!
na minha incessante pesquisa sobre estudar, trabalhar e viver em londres,para onde pretendo ir muito em breve, tenho me deparado varias vezes, nos meus resultados de pesquisa, com entradas para o teu blog.
por isso, gostava de saber se me podes dar algumas informaçoes sobre estuda e trabalhar em londres. se é relativamente facil arranjar um trabalho seja ele qual for e um quarto a um preço acessivel.
ficarei muito grata se me puderes dar estas informaçoes.
o meu mail é
margarida-1978@hotmail.com
obrigada

Maria Coutinho disse...

Tiago Tavares, viva!!
Espero que tenhas conseguido atingir os teus objectivos profissionais e tenhas encontrado o trabalho que procuravas...resolvi enviar-te esta mensagem ...porque também eu procuro um trabalho em inglaterra. Estou a concluir o mestrado na area das Relações Internacionais, contudo Portugal não oferece oportunidades nesta área...assim gostaria que me desses informações de como é o mercado de trabalho aí por Inglaterra. Espero sinceramente que tenhas acesso a esta minha mensagem...apesar de constactar que o site apenas regista a data de 2007....mas vou ter esperança!! o meu mail é: southafrica.coutinho@gmail.com